PPP - Plano Politico Pedagógico


PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

1 – INTRODUÇÃO

Acreditar num processo educativo, que parta de uma concepção de criança, como cidadã, capaz de investir na construção de valores e atitudes como solidariedade, cooperação, autonomia e respeito ao bem comum, contribui para a consolidação de uma pedagogia da educação atual, preocupada com as circunstancias e situações do cotidiano e das relações em que estão envolvidos educadores, crianças e famílias.
Um projeto político pedagógico ultrapassa a mera elaboração de planos, é a materialização da nossa reflexão critica enquanto educadores, portanto, decidimos enfrentar este desafio e sistematizar este projeto, buscando um norte que possibilite a efetivação da intencionalidade do espaço educacional.
É preciso salientar a importância da construção coletiva desse projeto, que exigiu comprometimento de todos envolvidos no processo educativo, e se apresenta como uma proposta inovadora e ousada, a partir do momento que reúno instituição de educação formal e não formais já organizadas e transformadas através da historia.
Na sociedade brasileira, o projeto político pedagógico – PPP de uma instituição educacional é ferramenta essencial para um atendimento de qualidade. Para a Fundação Educacional Coração da Mamãe, a construção do PPP torna-se relevante, principalmente por se tratar de um documento construído por varias pessoas cujas experiências viabilizam a unificação de uma proposta, respeitando-se a especificidade de cada programa.
E proporcionar um ambiente seguro para nossos filhos, é fundamental para nossas vidas, que terão tantas facetas desconhecidas, tantas coisas novas e tanto a aprender que é preciso acima de tudo um lar tranquilo e reconfortante para dar a eles uma medida e um controle.
Na região do Cariri, se debruça sobre um desenvolvimento considerável no que diz respeito a educação infantil, porta de entrada para a Educação Básica , nesse âmbito queremos preparar nossas crianças para um futuro melhor.
A organização educacional busca novas tecnologias, fazendo parte de um processo produtivo, para que a educação seja um serviço de qualidade, para assim cada aluno possa desenvolver sua individualidade, e suas capacidades pessoais. Diante disso temos como consequencia a vivencia em família e resoluções de problemas através da vivencia com a realidade, pois terão uma visão mais ampla da realidade. E assim usar de criatividade e responsabilidade.
A metodologia busca delinear atividades permitindo que a criança não seja apenas um alfabetizado, mas um agente transformador de sua realidade, sujeito critico no processo de aprendizagem,
Frisamos ainda o papel social que nossa fundação possibilita as crianças e por não afirmar a comunidade escolar, tornando-s capaz de desenvolver suas habilidades pessoais.
Destacamos nossa MISSÃO, VISÃO e PRINCIPIOS que norteiam nossa pratica pedagógica. Não se pretende nesse documento esgotar a discussão, deixando passível de alterações no desenrolar da pratica educacional.


II – POLITICA E QUALIDADE

Missão frente ao contexto atual:

Organizar e integrar as ações da Fundação voltas para obtenção, preservação e desenvolvimento dos seus recursos humanos, promovendo a reflexão institucional para a condução dessas ações, apoiando a qualificação continua nos seus processos de gestão, e sustentar os requisitos legais, direcionar a aplicação dos recursos e produzir resultados de qualidade de vida para os indivíduos e a comunidade envolvida”.

A Fundação reconhece a importância da educação na construção das relações sociais, política, culturais, cognitivas e afetiva; buscando qualidade educacional para crianças na faixa etária de três até seis anos de idade; desenvolvendo suas potencialidades, respeitando a diversidade e oferecendo alternativas de atendimento durante o período de trabalho dos pais ou responsáveis.


Visão diante do futuro:


pretendemos nos tornar uma entidade de referencia, desenvolvendo habilidades educacionais, preparando as crianças para atuar nomeio social onde o conhecimento são marcas que permanecem”.


Baseado nisso, propomos estimular as crianças sempre conhecer, seja as novas tecnologias que chegam, sem deixar que o comodismo vire rotina. Fazendo eles almejar cada vez mais conhecer para sobreviver no meio em que fazem parte.

Princípios norteadores da fundação:

  • Filosófico: visão do mundo, sociedade, homem, conhecimento, criança, infância, instituição de educação infantil.
  • Socioantropológico: visão sociocultural das crianças e suas famílias, a comunidade e com outras entidades, movimentos sociais e órgãos da cidade.
  • Psicopedagógico: visão de desenvolvimento infantil, de ensino-aprendizagem, de construção do conhecimento.

III – JUSTIFICATIVA

Este projeto tem seu compromisso firmado com uma ação democrática e transformadora, que leva em conta a diversidade das crianças e adolescentes.
A Fundação direciona suas ações no snetido de valorização de um atendimento humanizado, cumprindo seu papel social.
Em consonância com os direitos da criança e do adolescente – Constituição Federal (1988), ECA (1990), LDB (1996) – a Fundação Educacional Coração da Mamãe busca assegurar o atendimento aos filhos ou dependentes legais de seus moradores.


IV – OBJETIVOS


Temos como objetivo propiciar o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes, considerando seus conhecimentos de forma a possibilitar a construção da autonomia, criticidade, criatividade, responsabilidade, contribuído com o exercício da cidadania.


V – CONCEPÇAO EDUCACIONAL

As relações que envolvem o meio educacional refletem a concepção de sujeito que prevalece no âmbito de cada instituição. Por isso torna-se necessário destacar qual a concepção de criança que norteia o trabalho educacional na fundação.
As ações estão fundamentadas na concepção de criança como um ser humano completo: constituição física, modo de agir, pensar e sentir. É um ser em desenvolvimento e crescimento.
Nas obras de Piaget, Wallon e Vygotsky, encontram-se as bases epistemológicas para a inserção das crianças e adolescentes em espaços que valorizam o saber e a interação social.
Em Vygotsky (1991) define o sujeito como ser histórico, competente para agir e produzir cultura. Quanto maior a diversidade de parceiros e experiências, mais enriquecidos torna-se e seu desenvolvimento.
Num contexto mais geral, temos a estratificação da sociedade criando relações sociais que irão exercer influencia sobre o sujeito, mas num contexto mais restrito, temos a atuação direta das relações familiares e é justamente nessa relação que ele se constituirá individualmente.
A fundação passa a se constituir num espaço de acolhimento para as diferenças sócio-culturais de crianças e adolescentes.
Cria-se um ambiente para possíveis transformações sociais e como idealizava Paulo Freire (1997) provocar mudanças que levem ao vem viver coletivo.
Dessa forma, o trabalho educacional passa pelo conhecimento que o sujeito traz de seu meio social e de sua comunidade, abrindo um espaço para trabalhar a criatividade e a cooperação.
Essa abertura possibilita a construção da linguagem oral, escrita e matemática, somando-se as expressões plástica, cênicas, sonoras e corporais. Tais praticas permitem o desenvolvimento.
A interação social entre grupos proporciona a criança e o adolescente ser mais sensível ao ponto de vista do outro, saber cooperar e desenvolver formas de comunicação para a compreensão de sentimentos e conflitos.
A fundação visa criar um ambiente propicio ao desenvolvimento das seguintes metas educacionais:

  • Participe da construção do conhecimento como sujeito ativo;
  • Estabeleçam vínculos afetivos e a cooperatividade, desenvolvendo a auto-estima e criticidade.

Dinâmicas de trabalho para garantir tais metas:

  • Aprimoramento das relações de interação educador-crianças e adolescentes.
  • Planejamento de atividades incluindo a participação da família.
  • Inclusão de crianças e adolescentes com necessidade especiais.
  • Desenvolver as potencialidades.

Experiências com a pluralidade cultural, apropriação de significados no mundo e garantia de direitos:
  • Dignidade e respeito.
  • Autonomia e participação.
  • Felicidade e prazer.
  • Individualidade.
  • A diferença e semelhança.
  • Igualdade de oportunidades.
  • Participação da família e comunidade.
  • Profissional com formação especifica.
  • Tempo, espaço e materiais específicos.
Esta concepção educacional contempla a participação de diversos olhares:

Da pedagogia:
as ações são conduzidas através de projetos que contemplam os princípios de qualidade na educação e formação de crianças e adolescentes.


Princípios éticos: exercício da autonomia, responsabilidade, criticidade e respeito a ordem democrática.


Princípios estéticos: exercício da sensibilidade, criatividade, ludicidade e da diversidade de manifestações artísticas e culturais.


No trabalho com o projeto dar-se por observações, relatos e vivências diárias. Há a releitura do cotidiano, possibilitando a ampliação do universo sócio-cultural, exigindo a participação e atuação efetiva dos profissionais da fundação.
O professor desempenha um papel de mediador e estimulador da aprendizagem. Deste modo, o professor da fundação, deve agir promovendo a reflexão e a transformação.
Os instrumentos de trabalho dos professores são acompanhados pelo planejamento, com o registro das atividades cotidianas e das observações dos grupos envolvidos.


Da psicologia: entendendo a educação como um ato comprometido com o ser humano, que se constrói no encontro com o outro, a presença do profissional da psicologia torna-se fundamental, pois há uma complexidade de relações humanas, interpessoais e de desejos que envolvem a educação.
Portanto busca-se oferecer atividades que contemplem a imaginação e a experiência cultural, como lugar aberto a criatividade. Abre-se assim para o imprevisto e para outras possibilidades de respostas.
Os profissionais da psicologia, na fundação, atuam diretamente com as crianças e adolescentes. Colaboram na construção de metodologias educacionais que atendam a todas as dimensões do humano, na organização da rotina e do espaço.


Da nutrição:
Investir na educação nutricional é acreditar que na infância se fixam a formação de bons hábitos alimentares, proporcionando as crianças e adolescentes pleno desenvolvimento físico e bem estar e visando a prevenção de enfermidades.


Da saúde:


A Organização Mundial de Saúde define saúde como “um completo estado de bem estar físico, mental e social” e não simplesmente ausência de doenças, assim “a saúde deve ser vista com um recurso para a vida e não como objetivo de viver” (OTAWA, 1986). Nessa concepção de saúde agrega-se, alem do biológico, as condições ambientais, econômicas, políticas, psicológicas, sociais, culturais e comportamentais.
A escola, como educadora e promovedora de uma boa qualidade de vida, para o publico infantil e adolescente, deve oferecer condições para que seja proporcionada uma vida saudável para seu publico alvo.
A saúde nas escolas passa, por uma revisão de seus conceitos higienistas e assistencialistas incluindo em suas ações, a família e comunidade, para trabalhar situações adversas, cujo alvo preferido é o jovem adolescente em conflito com as rápidas transformações sociais, econômicas e políticas.
Devem, portanto: “desenvolver conhecimentos par ao auto-cuidado da saúde e a prevenção das condutas de risco em todas as oportunidades educativas, buscando fortalecer todos os aspectos que contribuem para uma melhor qualidade de vida e saúde para educadores e educando e famílias” (Escolas promotoras de saúde, 1996).


Do serviço social:


Parte da premissa teórica que o homem é um ser histórico e cultural; inserido nas relações com diferentes coeficientes de poder que se revelam diante das desigualdades políticas e econômicas da sociedade.
Diante desse cenário observa-se um redesenho das relações familiares:
Segundo definição do IBGE/1997, “família é o núcleo de pessoas que convivem em determinado local, que se acham unidas (ou não) por laços consanguíneos. Ela tem como tarefa primordial o cuidado e a proteção de seus membros e se encontra dialeticamente articulada”.


Kaslow tipifica a família com diferentes arranjos:
  • Família nuclear (duas gerações com filhos biológicos)
  • Famílias intensas (incluindo três ou quatro gerações)
  • Famílias adotivas (bi-raciais ou multiculturais)
  • Famílias monoparentais (chefiadas por pai ou mães)
  • Casais homossexuais (com ou sem crianças)
  • Famílias reconstituídas (depois do divorcio)
  • Varias pessoas vivendo juntas sob forte compromisso mutuo.

Família, independentemente, das formas ou modelos que se arranje, é o espaço privilegiado onde se aprende a ser e conviver, media continuamente os deslocamentos entre o publico e o privado, entre sujeitos e a coletividade.
Diante dessas ovas formas de formação familiar, os profissionais do Serviço Social se obrigam a debruçar mais detidamente, refletindo e analisando tais mudanças sociais, com atitude ampla e democrática, contextualizando diferenças e quiçá poderão ser objeto do fazer profissional.


Na Fundação Educacional Coração da Mamãe, o Serviço Social é a atividade que se interpreta a clientela, define a política e o atendimento e esclarece legislações vigentes: constituição de 1988, ECA, CLT, LDB, enfatiza a abordagem da proteção e direitos sociais, também atuando de forma grupal em temas transversais que envolvem a educação.


VI. AVALIAÇÃO: MOMENTO DE RE-CONSTRUÇÃO

A avaliação tem importância social e política crucial no fazer educativo. Resgata o sentido de acompanhamento e desenvolvimento das crianças e adolescentes e seu cotidiano como elo na continuidade da ação pedagógica de maneira que possa contemplar positivamente as necessidades, curiosidades e solicitações das mesmas.


A proposta de avaliação da Fundação E.C.M. busca prevalecer os aspectos qualitativos sobre os quantitativos. Deste modo, a avaliação continua dar sentido ao trabalho pedagógico, organizada com base em vivencias e informações, o que significa olhar para todos os pontos de vista, podendo ser um instrumento de reconstrução do processo de ensino-aprendizagem. Ela parte da realidade, integra conteúdos e métodos, desatando os nos do processo para alcançar os objetivos educacionais.

VII. PARTICIPAÇÃO DOS PAIS


A participação dos pais é importante para compartilhar do espaço, do convívio e o respeito as regras da instituição. Através dessa interação, estabelece-se uma relação de parceria entre a escola e a família, no que diz respeito ao trabalho realizado.
Independente da idade da criança e do adolescente a proposta de trabalho com os pais ou com a família tem o mesmo objetivo, educar e cuidar, que são processos dinâmico e indissociáveis. As relações dos adultos que estão envolvidos com essa tarefa (família e educadores) tem que acontecer de forma respeitosa, possibilitando um trabalho harmonioso e efetivo.


VII. CARACTERIZAÇÃO DOS USUARIOS

A Fundação E.C.M. atende crianças de três a seis anos de idade, filhos ou dependentes legais de associados, colaboradores e comunidades em geral 200 crianças. Considerando a diversidade da clientela atendida nos aspectos socioeconômicos e culturais fez necessária uma caracterização da mesma.
Este levantamento foi realizado em Agosto/2006 e refere-se a clientela total atendida pela fundação e uma parcela das criança que moram na comunidade.
Foram elencadas nove categorias consideradas relevantes para a caracterização, sendo que as informações foram coletadas ds fichas de renovação de matrícula e/ou das fichas de avaliação socioeconômicas das crianças.
Escolaridade dos usuários/responsáveis
Escolaridade
Frequência
Ensino Fund. Completo
07%
Ensino Médio Completo
33%
Ensino Superior Completo
18%
Ensino Fund. Inompleto
03%
Ensino Médio Incompleto
14%
Ensino Superior Incompleto
25%
Fonte: Secretária FECM


Faixa salarial dos usuários/responsáveis
Faixa salarial
Frequência
De 0 a 3 salários mínimos
64%
De 4 a 6 salários mínimos
36%
Fonte: Secretaria FECM


Quanto a escolaridade dos responsáveis, mais da metade (58%), estão no ensino médio caminhando para o ensino superior, isso também se evidencia na faixa salarial onde 36% dos usuários estão na faixa salarial acima de 2 salários mínimos enquadrados, portanto no nível médio.


IX. FORMAÇAO EM SERVIÇO E FORMAÇAO CONTINUADA

Entendendo que um dos indicadores de qualidade do ensino esta na formação e na valorização do docente e nas suas condições de trabalho, priorizamos o investimento no desenvolvimento desses profissionais.
A Fundação E.C.M. acredita que os educadores também estão envolvidos em um processo de construção do conhecimento, no qual a interação, a troca e a interlocução exercem papeis fundamentais.
Nesse sentido torna-se necessário sensibilizar os profissionais da educação para a importância do trabalho que vem assumindo, instrumentalizando-os, técnicas e teoricamente, para a realização desta tarefa.


O investimento na complementação dos estudos de ensino médio na modalidade normal para algumas educadoras das creches que ainda não possuem. Justifica-se, primeiro, por se tratar de assegurar às transformações introduzidas no sistema nacional de ensino pela LDB/96 e, segundo por constituíram-se melhor forma de concretizar o direito e a qualificação profissional.
A formação em serviço acontece no interior da Fundação E.C.M. por meio de encontros semanais de caráter sistemático e continuo, em que os educadores se colocam como pessoas, como profissionais, trocando ideias, experiências, conhecimentos, planejando, refletindo e avaliando sua pratica, podendo assim investir na construção e na constituição de um grupo de trabalho, com questões e intenções comuns, sendo com certeza o conhecimento relativo à criança o aspecto central desse processo.


X. RECURSOS FÍSICOS
Área total ..............................................................................................................16x30m²
6 salas ....................................................................................................................4x3,5m²
1 sala de diretora ................................................................................................3,5x2,6m²
1 banheiro masculino .........................................................................................2,6x2,4m²
1 salão/refeitório ....................................................................................................8x3,2m²
1 copa/cozinha .......................................................................................................5x2,3m²
1 almoxarifado/depósito .....................................................................................3,2x2,5m²
XI. RECURSOS FINANCEIROS
A Fundação E.C.M. é entidade filantrópica, portanto, tem seu orçamento anual previsto em um convênio este ano municipalizado pela Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte, desde 2007 no custeio desta unidade.


XII. ESTÁGIOS E PROJETOS DE PESQUISA
A Fundação E.C.M. recebe, mediante solicitação do professor responsável, projetos de pesquisa e alunos/estagiários da Universidade Regional do Cariri (URCA), Universidade Vale do Acaraú (UVA) e de outras Faculdades locais, com a aprovação da diretoria e dos profissionais que supervisionam o estágio.
Serão realizados os encaminhamentos a instituições a que os alunos/estagiários se originam para registro do estágio, sendo eles não renumerados.

PLANO DE CURSO




APRESENTAÇÃO

O plano de Curso Anual tem como objetivo geral envolver as crianças da Fundação Coração da Mamãe como sujeito ativo e histórico de direitos nas interações relações das práticas com que vivenciam construindo sua identidade pessoal, coletiva, através das brincadeiras, imaginação, promovendo o conhecimento sobre os conteúdos abordados durante o ano letivo. Também oferecer uma educação infantil de qualidade, visando preparar a crianças para os desafios da vida moderna, garantindo a qualidade dessa educação. Além de levá-lo a distinguir as bases éticas e morais que o edificam como ser humano em sociedade.

Objetivo Geral
O plano anual de curso da Fundação Coração da Mamãe tem como objetivo geral por em prática as Diretrizes Curriculares Nacionais observadas na elaboração das propostas pedagógicas da escola, garantindo que sejam cumpridas as metas que se pretende alcançar, sensibilizando o educando o cumprir seus deveres e usufruir de seus direitos.


Objetivos Específicos

I - Estabelecer relações sociais em âmbito cada vez mais amplo.
II – Mostrar a importância da dignidade vivenciada com o educando, envolvendo a família e os órgãos competentes na violência do dia-a-dia.
III-Trabalhar com criança respeitando seus direitos e deveres, sendo de grande relevância para o desenvolvimento do ensino aprendizagem.
IV - Mostrar e valorizar a importância da cultura local e regional.
V-Incentivar a criança a dramatização, construindo seu próprio conhecimento.
VI – Promover brincadeiras que desenvolva sua coordenação psíquica e motora.
VII - Despertar a curiosidade e imaginação através da contação de história.
VIII - Respeitar a liberdade de expressão dos alunos.
IX – Estimular a socialização e o desenvolvimento cognitivo e a expressão corporal.
X – Ampliar a confiança e a participação das crianças nas atividades individuais e coletivas.
XI – Viabilizando as interações entre as crianças de faixa-etária diferentes.
XII - Cuidar e educar crianças de o a 5 anos, buscando desenvolver a identidade delas, através do lúdico e da aprendizagem, observação e compromisso.
XIII - Desenvolver a criatividade na leitura e escrita através do lúdico e suas etapas como história, interpretação de textos na música, poesias, dramatização e leitura de mundo.
XIV - Estabelecer vínculo com adultos e com seus iguais respondendo aos sentimentos de afeto, respeito á diversidade e desenvolvendo atitudes de ajuda a colaboração.
XV – utilizar a linguagem verbal de forma ajustada as diferentes situações de comunicação habituais para compreender e ser compreendido pelos outros. Expressar suas ideias, sentimentos, experiências e desejos.
XVI - Avalia a criança não só pelas atitudes, mas na interação social, cultural no meio em que vivem também na criatividade e o desenvolvimento do ensino aprendizagem.

Orientações Didáticas

O educador auxilia e ensina as crianças a cuidar de si organizando tais situações de modo adequado para cada faixa etária, de forma que a autonomia delas seja construída sem risco à sua integridade física e psíquica, para tanto eles precisam considerar ainda o ambiente como um espaço coletivo com características próprias. Com um trabalho bem planejado, Claro e objetivo de forma que a criança possa promover seu conhecimento, atuando participativamente nas atividades propostas, desenvolvidas nos aspectos físicos, motor, intelectual e afetivo.


Avaliação

A avaliação se destina a obter informações e subsídios capazes de favorecer o desenvolvimento das crianças e a ampliação de seus conhecimentos. Também a avaliação deve ser feita de forma contínua, observando o desenvolvimento da criança, o interesse e a participação no cotidiano escolar, registrando os avanços e progressos na aprendizagem, interagindo com a família, conhecendo as dificuldades para poder ajuda-los a superar suas expectativas e assim avaliá-los de forma segura.


Conteúdos

Crianças de 3 e 4 anos

Linguagem
  • Rotina diária
  • Memorização
  • Músicas, histórias ou dramatização
  • Jogos
  • As vogais
  • A a com textos
  • E e com músicas
  • Li com gravuras
  • O o apresentação de histórias
  • U u com recortes de revistas
  • Pantomimas (é um teatro gestual que faz o menor uso possível de palavras e o maior uso de gestos. É a arte de narrar com o corpo).
  • Situações sistemática de leitura ( livro do PAIC )
  • Desenvolvimento de atividade de expressão artística
  • Ouvir, contar histórias.
  • Distinguir nome dos coleguinhas
  • Junção das vogais
  • Conhecer figuras e palavras
  • Trabalhar as consoantes de acordo com cada projeto
  • Cantinho do PAIC

Cálculo
  • Cor primaria
  • Conceitos
  • Lateralidade
  • Espaço
  • Formas
  • Números naturais 0 a 5

Ciências
  • Alimentação
  • Corpo Humano
  • Os sentidos
  • As plantas ( seres vivos )
  • Os animais ( seres vivos )

Conhecimentos Sociais

  • As estações do ano
  • O tempo ( frio /calor /chuva )
  • Família
  • Escola
  • A casa
  • Eu
Ensino Religioso

  • Criação do mundo
  • Campanha da fraternidade
  • O significado de todos os símbolos da páscoa
  • O significado de corpus Christ
  • O nascimento de Jesus
  • Símbolos natalinos
  • Turismo religioso da nossa cidade
  • Todas as atividades serão desenvolvidas de acordo com o livro do PAIC e o livro do aluno.

Arte Educação

  • Painéis de acordo com as datas comemorativas
  • Dramatizações
  • Criações de músicas
  • Trabalhar os: Hino Nacional, Bandeira, Soldado, Ceará, Hino de Juazeiro do Norte.
  • Pintura, colagem
  • Quebra cabeça
  • Dobraduras
  • Portfólio


Não se fala em educação sem amor”
Paulo Freire




INFANTIL V
Crianças de 5 anos
Conteúdos
Linguagem
  • Rotina
  • Histórias ( livro do PAIC )
  • Painéis de acordo com as datas comemorativas,
do mês.
  • Teatro ou dramatização
  • Brincadeiras antigas
  • Leituras de histórias diversificadas
  • Hino Nacional
  • Hino do Ceará
  • Hino do soldado
  • Hino da bandeira
  • Hino de Juazeiro do Norte ( Quem escreveu)
  • Alfabeto completo com textos,músicas,parlendas,adivinhações,rótulos,história,cantinho da leitura,quadro informativo.
  • Nome completo e nome dos coleguinhas
  • As pessoinhas
  • Conversa formal
  • Textos
  • Rodinha de conversa
  • Canções
  • Aumentativo e diminutivo
  • Jogos
  • Masculino e feminino
  • Formação de palavras e freses
  • Separação de sílabas
  • Interpretação de textos

Matemática

Cálculo
  • Cor primaria
  • Cores secundárias
  • Conjuntos
  • Escrita dos numerais de 0 ao 10
  • Numerais de 0 a 50
  • Pares e ímpares
  • Ordem crescente e decrescente
  • Ordinais até 20
  • Algarismo romanos de I a xx
  • Noção de adição
  • Noção de subtração
  • Relação de matemática com jogos sabatinas
  • Resolução de problemas do cotidiano
  • Sistema monetário
  • Sinais +,-,=,=,<,>,
  • Mais, menos, mesma quantidade.
  • Noção de quantidade; em frente, atrás, ao lado.
  • Geometria: tipos de Contorno, linhas retas e verticais e horizontais.
  • Linhas curvas abertas e fechadas. Formas geométricas.
  • Discriminação espacial; perto, longe, dentro, fora, entre, em frente, atrás, ao lado.
Ciências
  • Seres vivos e não vivos
  • Natureza
  • O corpo humano
  • Órgãos dos sentidos
  • Animais e tipos de animais
  • Plantas e suas partes
  • Estações do ano
  • Prevenção de acidentes.

Conhecimentos sociais

  • A família
  • A escola
  • O bairro
  • A cidade
  • O estado
  • A capital
  • O trânsito
  • Meios de transportes
  • As profissões
  • Datas comemorativas

Arte e Educação

  • Criação de músicas
  • Criação de painéis
  • Danças
  • Desfiles
  • Histórias em plenário
  • Dobraduras
  • Recorte e colagem
  • Quebra-cabeça
  • Jogral

Ensino Religioso
  • Criação do mundo
  • Campanha da fraternidade
  • Verdadeiro sentido da Páscoa
  • Nascimento de Jesus
  • Símbolos natalinos
  • Datas importantes de nossa cidade
  • Turismo religioso de nossa cidade.

OBS: as atividades serão desenvolvidas,
todas de acordo com o livro do aluno.


Buscai em Deus as respostas para todos os seus problemas”. Ele é a solução!


Avaliação
A avaliação se destina a obter informações e subsídios capazes de favorecer o desenvolvimento das crianças e a ampliação de seus conhecimentos. Permitindo que a criança não seja apenas mais um alfabetizado. Mas, um agente transformador da sua realidade e tornando-o um sujeito ativo, sujeito crítico no processo que o mundo globalizado exige. A avaliação deve ser continua, observando o desenvolvimento da criança interesse e a participação na aprendizagem, os avanços e progressos, interagindo com a família, conhecendo as dificuldades para poder ajuda-los a superar suas expectativas e assim avaliá-los de forma segura.

Professores:
Maria Jacinta Coelho Feitosa Vasconcelos
Maria Dadores dos Santos
Maria Hilda Jovino Cruz
Raimunda Sobreira da Silva
Silvania Pereira da Fonseca



Presidente; Maria do Carmo Oliveira Vasconcelos.


                          Cálculo
Cor primaria
Conceitos
Lateralidade
Espaço
Formas
Números naturais 0 a 5

  Ciências
Alimentação
Corpo Humano
 Os sentidos
As plantas ( seres vivos )
Os animais ( seres vivos )


Conhecimentos Sociais

As estações do ano
O tempo ( frio /calor /chuva )
Família
Escola
A casa
Eu
Ensino Religioso

Criação do mundo
Campanha da fraternidade
O significado de todos os símbolos da páscoa
O significado de corpus Christ
 O nascimento de Jesus
 Símbolos natalinos
Turismo religioso da nossa cidade
Todas as atividades serão desenvolvidas de acordo com o livro do PAIC e o livro do aluno.

Arte Educação

Painéis de acordo com as datas comemorativas
Dramatizações
Criações de músicas
Trabalhar os: Hino Nacional, Bandeira, Soldado, Ceará, Hino de Juazeiro do Norte.
Pintura, colagem
Quebra cabeça
Dobraduras
 Portfólio



            
              “Não se fala em educação sem amor”
                                        Paulo Freire




                       INFANTIL     V

                      Crianças de 5 anos
 
Conteúdos
                Linguagem
Rotina
Histórias ( livro do PAIC )
Painéis de acordo com as datas comemorativas,
do mês.
 Teatro ou dramatização
Brincadeiras antigas
Leituras de histórias diversificadas
Hino Nacional
Hino do Ceará
Hino do soldado
Hino da bandeira
Hino de Juazeiro do Norte ( Quem escreveu)
Alfabeto completo com textos,músicas,parlendas,adivinhações,rótulos,história,cantinho da leitura,quadro informativo.
Nome completo e nome dos coleguinhas
As pessoinhas
Conversa formal

Textos
Rodinha de conversa
Canções
Aumentativo e diminutivo
Jogos
Masculino e feminino
Formação de palavras e freses
 Separação de sílabas
Interpretação de textos

Matemática

Cálculo
Cor primaria
Cores secundárias
Conjuntos
Escrita dos numerais de 0 ao 10
Numerais de 0 a 50
Pares e ímpares
Ordem crescente e decrescente
Ordinais até 20
Algarismo romanos de I a xx

Noção de adição
Noção de subtração
Relação de  matemática com jogos sabatinas
Resolução de problemas do cotidiano
Sistema monetário
Sinais +,-,=,=,<,>,
Mais, menos, mesma quantidade.
Noção de quantidade; em frente, atrás, ao lado.
Geometria: tipos de Contorno, linhas  retas e verticais e horizontais.
Linhas curvas abertas e fechadas. Formas geométricas.
Discriminação espacial; perto, longe, dentro, fora, entre, em frente, atrás, ao lado.
           
Ciências
Seres vivos e não vivos
Natureza
O corpo humano
Órgãos dos sentidos
Animais e tipos de animais
Plantas e suas partes
Estações do ano

Prevenção de acidentes.

           Conhecimentos sociais

A família
A escola
O bairro
A cidade
O estado
A capital
O trânsito
Meios de transportes
As profissões
 Datas comemorativas

                           Arte e Educação

Criação de músicas
Criação de painéis
Danças
 Desfiles
Histórias em plenário

Dobraduras
Recorte e colagem
Quebra-cabeça
Jogral

Ensino Religioso
Criação do mundo
Campanha da fraternidade
Verdadeiro sentido da Páscoa
Nascimento de Jesus
Símbolos natalinos
Datas importantes de nossa cidade
Turismo religioso de nossa cidade.

 OBS: as atividades serão desenvolvidas,
 todas de acordo com o livro do aluno.


  “Buscai em Deus as respostas para todos os seus problemas”. Ele é a solução!
                       


 Avaliação
          A avaliação se destina a obter informações e subsídios capazes de favorecer o desenvolvimento das crianças e a ampliação de seus conhecimentos. Permitindo que a criança não seja apenas mais um alfabetizado. Mas, um agente transformador da sua realidade e tornando-o um sujeito ativo, sujeito crítico no processo que o mundo globalizado exige. A avaliação deve ser continua, observando o desenvolvimento da criança interesse e a participação na aprendizagem, os avanços e progressos, interagindo com a família, conhecendo as dificuldades para poder ajuda-los a superar suas expectativas e assim avaliá-los de forma segura.

Professores:
                       Maria Jacinta Coelho Feitosa Vasconcelos
                    Maria Dadores dos Santos
                       Maria Hilda Jovino Cruz
                    Raimunda Sobreira da Silva
                    Silvania Pereira da Fonseca



Presidente; Maria do Carmo Oliveira Vasconcelos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário